Paulo Akashi comenta sobre o futuro da energia renovável no país em entrevista à revista Brasil Engenharia.

O CEO da Intertechne, Paulo Akashi, deu uma entrevista super bacana à revista Brasil Engenharia sobre o crescimento do mercado de novos projetos de energias renováveis, como os fotovoltaicos e eólicos, no Brasil e como a empresa vem se preparando para suprir as necessidades deste mercado promissor.

A parceria da Intertechne com grandes empresas deste setor no Brasil, como a Elera Renováveis, braço do Grupo canadense Brookfield no Brasil, logo começará a trazer frutos para o Brasil. Com os três empreendimentos onde a Intertechne está atuando, Complexo Solar de Janaúba, PCH Foz da Estrela e Parque Solar Alex, a Elera irá incrementar 1,6 GW na capacidade instalada das usinas que gerencia.

Confira abaixo uma parte da entrevista:

“O grupo Intertechne começou com alguns engenheiros especialistas em barragens e usinas hidrelétricas e nesse segmento se manteve nos primeiros 10 anos dos 34 que estão no mercado.

Com a desaceleração dos novos projetos em hidrelétricas, diversificou sua atuação até retornar à origem: projetos de geração de energia. Mas, desta vez, a eólica e, especialmente, a fotovoltaica.

“Quase que naturalmente fomos obrigados a nos preparar para atuar em outras fontes renováveis de energia e há uns sete anos começamos a nos dedicar principalmente aos solares”, conta Paulo Akashi, CEO da Intertechne, empresa de engenharia com sede em Curitiba (PR), que participa de alguns dos maiores projetos de usinas fotovoltaicas da América do Sul, como o Complexo Solar de Janaúba, em Minas Gerais.

O empreendimento está sendo construído pela Andrade Gutierrez, contratada pela Elera Renováveis, unidade do grupo canadense Brookfield no Brasil, e em sua primeira fase terá 830 MW de capacidade instalada. A Intertechne é responsável pelo projeto executivo civil e elétrico da usina solar fotovoltaica (UFV). O projeto teve início em janeiro e a expectativa é que comece a entrar em operação no início de 2022, com a conclusão dos 20 parques que compõem o complexo prevista para 2023.

A área do Complexo de Janaúba é de 3 000 hectares (mais de 2 700 campos de futebol). Nela, serão instalados mais de 1,5 milhão de painéis solares e a obra deve gerar 1 300 vagas de emprego no pico dos trabalhos.”

Confira a matéria completa aqui (página 66).